Número total de visualizações de página

domingo, novembro 25, 2007

música "denomada" 30nov 23h38m-paralelo 38

“Denomada” nasce em 2002. Cria sons que contam estórias, descrevem viagens, retratam paisagens, movimentos, pessoas, saboreiam aromas, colhem momentos e sentimentos, vagueiam pelo mundo como nomadas ancestrais à procura do choro, da zombaria, dos ritos, da música. Realiza concertos escassos de cenografia oriunda.

teatro "o homem da mala" por Thomas Bakk- sex 07dez-23h38m-paralelo 38

THOMAS BAKK “O HOMEM DA MALA” Contador de histórias Uma viagem sem fronteiras pelo Imaginário!!! Um homem traz na mala muitas histórias para contar, dos lugares por onde andou, das personagens que conheceu, e de tudo que aconteceu, numa fantástica aventura no tempo. Uma sessão de contos Inéditos e Tradicionais, em verso e prosa: Romances, lendas, fábulas, parábolas, e anedotas, para chavalos e cotas. Os contos são da autoria e adaptação de Thomas Bakk. Licenciado em Arte Dramática, escritor, actor e contador de histórias. Tem peças encenadas no Brasil, Portugal e Alemanha, obras publicadas por várias editoras, foi guionista da TV Globo, e actualmente orienta acções de formação nas áreas da Dramaturgia, Teatro, Literatura, Oralidade, Criatividade, e Dinâmicas de Grupo no âmbito do desenvolvimento pessoal e interpessoal. Há muito que se dedica à recolhas de narrativas de Tradição Oral e sessões de contos tradicionais e da sua autoria, um trabalho que tem desenvolvido em bibliotecas, livrarias, escolas, faculdades, congressos, empresas, Instituições de Acção Social e espaços culturais As histórias são contadas pelo próprio autor que interpreta várias personagens, utilizando o Teatro, a Música e a interacção com o público, numa sessão surpreendente e divertida, onde as histórias são seleccionadas de acordo com as necessidades de cada público. O objectivo é divulgar e fomentar a Literatura, incentivar e promover a leitura, formando novos e futuros leitores, através da oralidade. Duração: 60 minutos “Contamos histórias desde quando nascemos, ao momento em que morremos; desde o instante em que acordamos, até à hora de dormir. E quando sonhamos, continuamos a contar a nós próprios as histórias que queremos ouvir.”

quinta-feira, agosto 23, 2007